terça-feira, 27 de abril de 2010

Quedas de água


A agua que pinga dessa torneira enferrujada, que teima em não abrir com a força das minhas mãos, já não me mata a sede. Procuro a fonte de água corrente que jorra de dentro de mim e que ninguém pode secar. Tal e qual como o leite materno alimenta os filhos, da pureza da minha nascente alimenta-se a minha inspiração...


5 comentários:

  1. seu post me fez pensar em falta d'agua, e no futuro sem ela, o ser humano não tme noção de como isso vai ser terrível, por isso faz o que faz.
    lindo blog

    ResponderExcluir
  2. Bela analogia. Que sua inspiração continue se alimentando de água pura e jorre para nosso deleite, seus leitores.

    ResponderExcluir
  3. Lou, post muito hidratado *risos*. Falando sério, está muito inspirador e com belas imagens. Gostei bastante :)

    ResponderExcluir