quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

O dia seguinte



A quarta feira das cinzas...

Cinzas nuvens, cinzas vidas que iniciam seu rastejar de volta a rotina da válida carne de todo dia.

Ontem foi o dia do entrudo. Ou não? Tradição antiga.

Em minha época de garota (hahaha) neste dia, estava 5 kg mais magra dançando até o hoje,  do primeiro tum ao último pam da orquestra do Cruzeiro, e pronta para lavar meu sangue, suor e lágrimas na chuva que invariavelmente invadia a praia na quarta-feira.

O suor permanecia, que Santa Catarina não é assim que se esfrie por qualquer chuvinha. As lágrimas engrossavam a chuva. Eu chorava literal e copiosamente o fim do carnaval. Não pelo amor do Arlequin que nunca fui muito Columbina.

Era mais uma perereca ou saracura saltando e pulando e dançando pelas noites no salão, pelos dias na praia. Ficava zulu. 

Fantasia tinha muitas.  No corpo ou só na cabeça. No pé um samba louco, de Emília do Pica-pau Amarelo.

Hoje, na quarta-feira continuo, se Deus quiser, com os mesmos quilos a mais de antes do Carná, porque correr 10km por dia já não sacode meus excessos. Mas não choro mais o fim daquilo que nem começou.

E ainda tenho um dia de surcis,  que me dei a meu próprio custo.  Num luxo de dia de chuva,  passeio nos meu bosques preferidos.

Numa das escalas, portuguesa com certeza,  encontrei este singelo anúncio. Como já  hábito,  pedi licença, e sem esperar resposta trouxe pra casa a mostrar,  já logo depois do café da manhã.

Leques já não há, pelo que fui informada nos comentários do próprio local. Mas ainda que com atraso (comum aqui,  nas terras de aquém mar) aplico o anúncio e o convite para quem quiser festejar.

Santo Antônio está por vir, e Nossa Senhora dos Navegantes que eu saiba, já passou (aquela que salva os Encalhados e protege os outros barcos). Resta-nos as promessas da Quaresma.

Aviso: importante


A Pó dos Livros, à semelhança dos anos anteriores, como todas as livrarias e as demais lojas de comércio, não podia deixar passar em branco a efeméride do dia 14 de Fevereiro: o Dia dos Namorados. Lamentamos decepcionar-vos, mas não faremos montras alusivas ao facto. Mas, em compensação, porque não discriminamos ninguém, amanhã dia 13 de Fevereiro, celebraremos: o Dia dos Encalhados. Claro que também não faremos montras alusivas ao facto. No entanto, a quem for encalhado por vontade própria ou por meras sucessões de azar e quiser vir à Pó dos Livros comprar um livrinho para oferecer a si próprio, nós teremos todo o prazer em oferecer-lhe um destes artísticos leques que, apesar de ser Inverno, sempre servirão para afastar os maus espíritos.

Assinado: A Gerência


5 comentários:

  1. Sou também um corredor. O problema é que o corpo se adapta às corridas. No início era vapt e vupt se corria e emagrecia.Depois, a gente corre e custa a emagrecer. E esse doping chamado mp3 é fantástico.

    ResponderExcluir
  2. O pior é que é verdade, Maia. O corpo se acostuma.
    Costumo dizer que a Samanta(de gordura) pegou amor nimim. Era melhor um namorado. Mas se grudasse assim, tinha já passado adiante. É mais fácil.
    Fazer o quê?? Esses doppings normais (correr com música) uso todos. Corro porque sou mesmo viciada.

    De qual mal você sofre Demasiado Tarde?? Da corrida??? Do mp3?? Ou do excesso de gostosura, como dizem os sedentários???
    Ou é do Encalhamento???

    Brigada pelo comentário meninos.
    Grande abraço
    Marie

    ResponderExcluir
  3. Marie, o post já está ótimo, mas o seu comentário sobre os comentários é de rolar de rir :)

    ResponderExcluir