segunda-feira, 23 de agosto de 2010

O QUE MUDA, O QUE FICA


E depois do vendaval, ela olhou ao redor e gostou do que viu. Havia uma certa paz naquele caos instaurado. Experimentou, além da paz, liberdade. Tudo havia mudado de lugar. Algumas coisas, ela deixou no local onde o vento as pôs. Outras, pouco a pouco, voltariam aos seus antigos lugares. Para que os próximos ventos tivessem novamente o que desordenar.

4 comentários:

  1. Adorei o texto.
    Para além de pragmatismo, há nesta personagem uns assomos de sabedoria.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. hummmm....já me vi neste lugar.
    bjao
    Ale

    ResponderExcluir
  3. Lindo Renata Flor.
    Lembra daquele Poema (canção) começar de novo e contar comigo, vai valer á pena, ter AMANHECIDO!
    Começar de novo, e contar comigo vai valer á pena ter SOBREVIVIDO!
    Que os próximos ventos sejam suaves, tragam só felicidade!
    Amo-te...
    Silvia
    PS.: Para a Pequena Filhota:
    "Lembra daquela canção
    que você cantava
    enquanto segurava minha mão?
    As palavras dançavam no ar
    ao som de sua voz
    e eu flutuava na terra
    por te ouvir cantar!"

    ResponderExcluir
  4. Renata...
    Adoro janelas...
    Adoro vendavais...
    adoro colocar tudo no lugar...
    e ver tudo ajeitadinho...
    para que o próximo vento desabe com tudo...

    Beijos
    Leca

    Conheço...
    essa janela...
    rsrsr...

    ResponderExcluir