terça-feira, 23 de outubro de 2012

Entre o amarelo e o rosa...



 
 
 
Eu caminhava alegre entre os pastores
E tatuada de infância repetia
Que é melhor em verdade ter amores
E rima transitória para o verso
Para cantar mais alto é até preciso
Desdobrar-se em afetos e amar
Seja o que for, luares e desertos
E cantigas de roda e ditirambos.
 
 
Entre o amarelo e o rosa, a lua nova
Na vida também nova, ressurgia.
 
 
Hilda Hilst,  em  Exercícios.

12 comentários:

  1. Grande Hilda. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Dilmar e um lindo dia pra ti, também!!

    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Hilda única. Rima transitória para o verso diz tanto. Ci, tua assinatura nas postagens me impede até de ter pressa quando o tempo é curto: vou e leio.

    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu fico feliz com tuas leituras, muuuiiito!!!

      um beijo

      Excluir
  4. Tão simples e tão belo!


    abraços do Pedra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim era Hilda, a poeta!

      Obrigada pela visita, Pedra. (gosto muito das pedras!)

      um abraço de "cirandeira"

      Excluir
  5. Se o mar adormecer em desvario
    As ondas não mais se formarem
    Se as gaivotas se perderem do ninho
    As árvores mais altas tombarem

    Se o dia não encontrar a manhã
    As nuvens deixarem de chorar água pura
    Se as pedras da ilha roubarem a cor ao verde
    As tuas palavras deixarem de ser raiva dura


    Boa semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que belo poema, Profeta!
      As tuas palavras são poeticamente suaves
      e acolhedoras!
      Mais uma vez, obrigada!

      beijoss

      Excluir
  6. Hilda.. sempre única e artesã de palavras....ótima escolha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou, Integral de mim e de meu tempo.
      Que nome interessante :)

      Excluir