segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Contributo para as estastísticas


De Wislawa Szymborska:

Em cem pessoas,
sabedoras de tudo melhor -
cinquenta e duas;

inseguras de cada passo -
quase todo o resto;

prontas para ajudar,
desde que não demore muito -
quarenta e nove;

sempre boas,
porque não conseguem de outra forma -
quatro, talvez cinco;

dispostas a admirar sem inveja -
dezoito;

constantemente receosas
de algo ou alguém -
setenta e sete;

aptas para a felicidade -
vinte e tal, quando muito;

individualmente inofensivas,
em grupos ameaçadoras -
mais de metade, com certeza;

cruéis,
por força das circunstâncias -
é melhor não sabê-lo
nem aproximadamente;

com trancas na porta depois da casa roubada -
quase tantas como
aquelas que as têm, antes da casa roubada;

não levando nada da vida a não ser coisas -
quarenta,
embora preferisse estar enganada;

agachadas, doloridas
e sem lanterna no escuro -
oitenta e três,
mais tarde ou mais cedo;

dignas de compaixão -
noventa e nove;

mortais -
cem em cem.
Número, até agora, não sujeito a alterações.

12 comentários:

  1. mortais -
    cem em cem.
    Número, até agora, não sujeito a alterações.

    Otimo o final...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nem um deus seria capaz de desinventar algo tão sábio!
      beijo

      Excluir
  2. A última é certamente cem por cento correcta!

    Bjsss

    ResponderExcluir
  3. Gostei, uma pena que para esse numero no final não haja mesmo alterações, no fim só resta a igualdade! Abraçosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kellen, que essa vida tão cheida de desigualdades, seja justa nem que seja no fim, não é?
      beijo

      Excluir
  4. Com esta precisa precisão na Estatística diria que havia largos 'por cento' de hipótese de fazer um jeitaço a uns mocitos que cá sei!...
    abraço.

    ResponderExcluir