domingo, 29 de abril de 2012

Falta




Tantas palavras para dizer.
Tantas palavras para ouvir.
Ouvir como se tocasse, no rádio, um recado.
Ouvir como se fosse possível assoviar, na alma, um desatino.
Tantas perguntas para inaudíveis respostas.
Tantos ah se você soubesse. Ah se eu pudesse.
Tanta sabedoria inalcançável antes da hora.
Quantos gritos de alarme movidos a dor?
Tão vasta língua.
Vasta saliva.
Uma, duas, inúmeras palavras para dizer, ouvir, ler, escrever
no clamor dos sons e das  sílabas
e falta-me a primeira
a mais eterna, a mais
antiga.

10 comentários:

  1. E por mais que se pense mil vezes ela se perde...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se perde, se acha, chega, parte, retorna.
      beijoss

      Excluir
  2. tão terna e etérea palavra que falta, mas salta aos olhos. Belo poema.



    beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tão terna...
      Obrigada pelo belo, Assis :)
      beijoss

      Excluir
  3. na vida vivida, se falta uma, falta pouco. no poema, a palavra que falta é a cereja na ponta do chantili.

    belo poema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se é a cereja, quem a levou, por favor, que me diga rsrs
      beijoss

      Excluir
  4. saberá alguém a palavra primeira?

    beijo

    ResponderExcluir
  5. Ainda que a soubesse, não a diria, pois ela pode estar cheia de máscaras e estas nos iludiria. E a palavra primeira continua barro...

    beijosss,
    José Carlos

    ResponderExcluir
  6. A palavra primeira deve ter sido uma interjeição: uma quase-palavra. Uma seta verbal: apontamento, espanto ou ambos confluídos. Como a repentina queda de um raio e a reação suscitada ao evento, visto/dito pela primeira vez.


    Próximo do "Eureka!" de Arquimedes mas, provavelmente, tendendo mais ao espanto do que ao júbilo, com um que de cada um. Alguma "reverência respeitosa" deve ficar no meio dessas possibilidades, contagiando ambas: espanto ou júbilo. E ambas devem se imbricar [espanto jubiloso, júbilo reverente] dependendo da circunstância da primeira palavra.


    Qual terá sido a (não-)dita cuja?!


    Mas o poema vence a pergunta.



    Um beijo, moça.

    ResponderExcluir
  7. pra mim a primeira palavra deste seu belo poema seja: falta. ( faz sentido rsrs)

    bjs
    ns

    ResponderExcluir