terça-feira, 24 de abril de 2012

Em lembrança de Bachelard


a poesia que como pó
se expande em vendaval
segreda a imensidão do ínfimo*

(Luiza Maciel Nogueira)
*para ler Bachelard

7 comentários:

  1. Olá, que lindo blog o seu, e essa reflexão é muito filosófica! Se permitir, estarei retornando, abraços

    ResponderExcluir
  2. Ives não há nada a ser permitido o Minimo Ajuste é de vários escritores/ poetas/ artistas e quem quiser entrar entra! o espaço é livre para quem se permitir entrar.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto bastante desse sujeito aí. Se penso em "velho sábio", a primeira figura que me vem é ele.

    ResponderExcluir