terça-feira, 9 de agosto de 2011

Soneto das definições





Não falarei de coisas, mas de inventos

e de pacientes buscas no esquisito.

Em breve, chegarei à cor do grito,

à música das cores e do vento.


Multipicar-me-ei em mil cinzentos

(desta maneira, lúcido, me evito)

e a estes pés cansados de granito

saberei transformar em cataventos.


Daí, o meu desprezo a jogos claros

e nunca comparados ou medidos

como estes meus, ilógicos, mas raros.


Daí também, a enorme divergência

entre os dias e os jogos divertidos

e feitos de beleza e improcedência.


Carlos Pena Filho, Recife(PE) - 1929-1960

4 comentários:

  1. I love this image!

    Please install a "translate button" for the text!

    Kind regards to you.

    ResponderExcluir
  2. Adorei, Ci. E achei boa a ideia de um tradutor. Você sabe por??
    Vou dar uma pesquisada.
    beijosss

    ResponderExcluir
  3. Faz tempos que estou querendo colocar, mas vocês
    achavam desnecessário...:)
    O blog tá BOMBANDO, viu?
    Vou tentar ver se dar certo, pq o meu tá com problema, coisas do google!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. un soneto que define belleza

    besos*

    ResponderExcluir