terça-feira, 9 de agosto de 2011

Da série mapas da sua ausência II



Na cor
dos meus olhos, 
desenho o  mapa
da sua ausência, 
colorindo o meu corpo 
com a imaginação
das suas nuvens,
horizonte
calado
entre os ruídos
e os contornos
das minhas palavras
sem vento.

12 comentários:

  1. [cromatismo ambulante, traçada a palavra com terra, terra firme, mapa do distante]

    um imenso abraço,

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. el mapa de la ausencia...bello


    un beso*

    ResponderExcluir
  3. Ausência feita de lembranças que mudam de cor, mas sempre presentes. MEMÓRIA!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Ci, o que seria da gente sem a memória? O brilho eterno da lembrança? Eu tenho de elefante, ou de mamute, como já me disseram, o que, se por um lado, é bom, por outro...
    beijosss

    ResponderExcluir
  5. Rayuela, que bom já te encontrar aqui :) Besos*

    ResponderExcluir
  6. Aclim, melancolia está sempre no núcleo da minha escrita. Sempre, mesmo quando bem escondidinha :)
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Que jogo bonito de ideias entre o mapa e a ausência.

    ResponderExcluir
  8. Lelena, palavras sem vento...palavras sem vento...Olha que você chega sempre me traduzinduzindo silêncios, sempre e sempre, menina!
    Beijos,

    ResponderExcluir
  9. Tânia, tenho afinidades com o silêncio há tanto tempo...
    beijoss

    ResponderExcluir