terça-feira, 1 de janeiro de 2013

A confissão da Leoa



Só as pequenas loucuras  nos podem salvar da grande loucura.

Num mundo de homens e caçadores, a palavra foi a minha primeira arma.

Ninguém mais do que eu amava as palavras. Ao mesmo tempo, porém, eu tinha medo da escrita, tinha medo de ser outra e, depois, não caber mais em mim.

Sacudo-me, as minhas mãos são nuvens que parecem ter emigrado do meu corpo.

Nem precisamos de inimigos. Sempre nos bastámos a nós mesmos para nos derrotarmos.

Nós todas, mulheres, há muito que fomos enterradas. Seu pai me enterrou; sua avó, sua bisavó, todas foram sepultadas vivas.

Só há um modo de escapar de um lugar: é sairmos de nós.
Só há um modo de sairmos de nós: é amarmos alguém.

2 comentários:

  1. Só há um modo de sairmos de nós: é amarmos alguém.

    Perfeito...

    ResponderExcluir
  2. Amar é tão difícil.
    Belo poema.
    beijos!!

    ResponderExcluir