sábado, 1 de setembro de 2012

O gato e o rato


"Ai de mim", disse o rato, "o mundo está ficando menor a cada dia. No começo, era tão grande
que fiquei com medo. Continuei correndo, correndo, e fiquei contente quando por fim ví muros a grande distância, à direita, à esquerda, mas esses altos muros estreitaram-se com tanta rapidez que eis-me já na última câmara, e lá, no canto, está a ratoeira em que devo cair." Mas você precisa apenas mudar de direção", disse o gato, e o devorou.
Frans Kafka, em Uma fábula curta.

14 comentários:

  1. Belo texto, bela mensagem!
    Kafka era paranóicamente sensacional!
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evandro, Kafka era genial!

      Um abraço e sucesso procê também!!

      Excluir
  2. nossa... que leitura!
    parabéns... um shoW.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Wilson. Que bom que gostou!

      Abraços

      Excluir
  3. Ci, adorei o post e a nova imagem de cabeçalho. Genial esses fósforos ardendo. Genial.
    beijoss :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê, eu também achei genial, encontrei-a num site de fotos
      digitais, obrigada!

      beijoss

      Excluir
  4. Que diria a fábula se a perspectiva fosse felina?!...
    abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As possibilidades são muitas, Jorge! Ladina, leonina, caprina, etc, etc, se não fosse a perspectiva de Kafka, mas dificilmente o dominador se coloca no lugar do dominado, você não acha?

      um abraço, e obrigada pela visita!

      Excluir
  5. Respostas
    1. Fernando, seja bem-vindo! Obrigada pelo comentário.

      abraço

      Excluir
  6. Não conhecia esse texto, é nestas fábulas que sai lindas mensagens, sempre tem uma lição. Adorei conhecer teu blog.

    Tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nome bonito tem o seu blog, obrigada pela visita e pelo comentário. Volte sempre, volte!

      Uma ótima semana procê também!

      Excluir