domingo, 26 de fevereiro de 2012

Pele deitada em solidão

Pele deitada em solidão,
recebe o tempo do ser
que é seu.
Pele deitada sobre o prazer,
naufraga
o mar.
Pele deitada em ilhas,
desancora o silêncio
e se refaz no nó
guardado nessa forma
de mulher.  

16 comentários:

  1. Pele que naufraga o mar é pele de águas antigas, antes que o mar fosse mar, pele oceânica ou pele vulcânica? A imagem é uma maravilha!
    Beijos,

    ResponderExcluir
  2. Bípedi,como sempre fascinante,indelével..bjs

    GAGAU

    ResponderExcluir
  3. Elegantemente ancorada em água.


    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bela frase, Marcelo. Deve ficar elegantemente bem ancorada em um texto :)
      beijoss

      Excluir
  4. Olá!!!
    Intenso seu poema!!

    parabéns!!!

    ResponderExcluir
  5. Belíssimo, Bípede!

    "pele deitada em ilha", um show de poema!

    Parabéns!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mirze, obrigada :)
      E cada ser com a sua em meio a esse oceano de vidas.
      beijoss

      Excluir