domingo, 26 de fevereiro de 2012

Pele deitada em solidão

Pele deitada em solidão,
recebe o tempo do ser
que é seu.
Pele deitada sobre o prazer,
naufraga
o mar.
Pele deitada em ilhas,
desancora o silêncio
e se refaz no nó
guardado nessa forma
de mulher.  

16 comentários:

  1. Pele que naufraga o mar é pele de águas antigas, antes que o mar fosse mar, pele oceânica ou pele vulcânica? A imagem é uma maravilha!
    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taninha, haja pele pra nos guardar e nos salvar!! beijoss

      Excluir
  2. Bípedi,como sempre fascinante,indelével..bjs

    GAGAU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gagau, obrigada :) Você é sempre tão amável.
      beijoss

      Excluir
  3. Elegantemente ancorada em água.


    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bela frase, Marcelo. Deve ficar elegantemente bem ancorada em um texto :)
      beijoss

      Excluir
  4. Olá!!!
    Intenso seu poema!!

    parabéns!!!

    ResponderExcluir
  5. Belíssimo, Bípede!

    "pele deitada em ilha", um show de poema!

    Parabéns!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mirze, obrigada :)
      E cada ser com a sua em meio a esse oceano de vidas.
      beijoss

      Excluir