sábado, 30 de junho de 2012

Corvo


Corvo danado.
Passa horas no meu céu. 
Faz sombra sobre o meu corpo.
Trata-me como uma presa. 
Confunde meu sono com fragilidade. 
Mal resiste à tentação do ataque. 
Não me bica por uma questão de princípios. 
Corvo com princípios.
Corvo fascinado pela minha pele de dunas, pelos laços que me encobrem. 
Corvo tonto. 
Corvo astuto. 
Passa horas no meu céu.

6 comentários:

  1. Esse corvo danado anda pairando em muitos céus,
    impune em nossos corações e mentes!
    O que ele não sabe é que nossos fígados se renovam, que tens o fogo eterno da poesia nas veias!!

    beijoss

    ResponderExcluir
  2. Teu blog é ótimo, parabéns!

    Vem conhecer o meu:
    leiakarine.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Pensei como a Ci, nos fígados regenerados pela força poética, Lelena!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  4. Los cuervos son muy listos,
    que tengas una buena semana.
    un abrazo.

    ResponderExcluir
  5. De tão espontânea, você parece brincar com as palavras, moça. Ou estás a brincar com o corvo?
    bjss,
    José Carlos

    ResponderExcluir