domingo, 15 de maio de 2011

Da arte das nuvens alcançáveis I


                          Fia os traços com histórias sem tempo. Ouve as bogagens que escapam da própria boca para encher-se de risos e acumular, na incerteza do ar, as fragrâncias de seu desejo de quebrar o céu enquanto há força e de ancorar, no corpo, a inviolável nudez de suas nuvens.

4 comentários:

  1. Hoje vim ver este colectivo.

    Achei-o variado interessante.

    Saudações poéticas

    ResponderExcluir
  2. Dibujos interentes,amigo poeta

    Abrazos JUAN

    ResponderExcluir