quinta-feira, 18 de julho de 2013

Raízes




Voando a bordo do vento
alçam asas provisórias
papéis alados
notícias
ilusões
recibos e garantias
cartas rasgadas e folhas
intenções
e regalias.

Voam véus
cortinas
sonhos
e aves tontas na vidraça.

No chão
imóveis
raízes
responsáveis pelos galhos
e lenhos de nosso alento
ensinam
sem dizer nada
que na vida
nem tudo voa no vento.

5 comentários:

  1. Tão profundo esse teu poema, Dade! Sem raízes nada perdura, nada somos, como nascer sem elas?

    Beijo grande

    ResponderExcluir
  2. A importância dos pés no chão!

    beijos, Dade

    ResponderExcluir
  3. voar
    sonho de vento
    só ele realmente voa

    abs Dade





    ResponderExcluir
  4. Olá! Há poesias que ficam gravadas no papel por milênios, por serem representantes divinas! abraços

    ResponderExcluir
  5. As raízes nos prendem, mas também nos seguram...

    bjos

    ResponderExcluir