quarta-feira, 9 de março de 2011

Em meus próprios pés




                                  Tropeçando às vezes em meus próprios pés, corro escadaria abaixo à procura dos envelopes que escapam de minhas mãos antes da minha caligrafia infantil despejar-se sobre eles e, como em um desenho de menina, corro sacudindo as tranças do meus cabelos agora curtos, podados pelo meu próprio desejo, por essa outra criatura que prefere usar o espelho para escovar os dentes a fazer dele um cenário irreal  e amassado de fragmentos sem memórias, cacos distantes de uma xícara de chá e da maciez incansável de meu cobertor  construído por  noites de palavras adentro.

6 comentários:

  1. I saw this image in my reader and had to come immediately for a better view. How charming, both photo and description!

    Have a wonderful day. :)

    ResponderExcluir
  2. Daqui a alguns anos você estará mais arrependido
    pelas coisas que não fez do que pelas que fez.

    Então solte suas amarras.
    Afaste-se do porto seguro.
    Agarre o vento em suas velas.
    Explore.
    Sonhe.
    Descubra.
    Feche a porta
    Mude de atitude
    Fale mal
    Grite
    Reclame
    Recomece
    Termine
    Recomece novamente
    Tudo é questão de escolhas!

    Comece tudo novamente quantas vezes forem necessárias
    E crie seu próprio final feliz!

    Beijos e abraços

    ResponderExcluir
  3. Que linda imagem, de alguém correndo e tropeçando para procurar cartas, memórias, imagino uma criança nessa correria.

    ResponderExcluir
  4. Hi, Lydia. Welcome to Mínimo Ajuste :)

    ResponderExcluir
  5. Rosa Maria, que cada um faça do jeito que tem é sempre o melhor jeito :)

    ResponderExcluir
  6. nagaiver, eu também imagino uma criança, uma menina que conheço muito bem!

    ResponderExcluir