quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Venenos de Deus, remédios do Diabo


" - Tens medo de fazer amor comigo?
  - Tenho - respondeu ele.
  - Por eu ser preta?
  - Tu não és preta.
  - Aqui, sou.
  - Não, não é por seres preta que eu tenho medo.
  - Tens medo que eu esteja doente...
  - Sei previnir-me.
  -  É porquê, então?
  - Tenho medo de não regressar. Não regressar de ti."
Venenos de Deus, remédios do Diabo (Mia Couto)

6 comentários:

  1. Forte, muito forte. Sobre a foto do cabeçalho, por aqui, na província sulina, chamamos mãe dágua.

    ResponderExcluir
  2. Mia Couto é, sem dúvidas, o maior escritor vivo da língua portuguesa...

    ResponderExcluir
  3. Le, tive esse livro em minhas mãos, mas tive que
    fazer uma escolha entre ele e "Antes de nascer o mundo". Quem sabe na próxima oportunidade..., e ela há de acontecer!

    Maia, interessante a denominação que vocês dão
    para "água viva". Por aqui a mãe d'água é a mãe
    das águas doces, dos rios. A "água viva" só aparece nas águas salgadas, no mar.

    ResponderExcluir
  4. Mia Couto tem uma relação com as palavraa mágica... Só ele sabe que "matéria" usa para construir os mundos com que nos deslumbra.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, não conhecia.
    Com carinho
    Fátima

    ResponderExcluir